6 chás para melhorar a circulação sanguínea

Alguns chás para melhorar a circulação sanguínea, como o chá verde ou o chá de ginseng, possuem substâncias com propriedades venotônicas, antioxidantes e anti-inflamatórias, que ajudam a relaxar ou melhorar a força dos vasos sanguíneos, aliviando os sintomas de má circulação, como inchaço ou sensação de pernas cansadas ou pesadas, que podem ser causados por varizes ou insuficiência venosa, por exemplo.

Além dos chás, existem outras formas que ajudam a melhorar a circulação sanguínea, como aumentar a ingestão de líquidos, fazer uma alimentação balanceada, reduzir o consumo de sal e praticar atividades físicas. Veja outras formas de melhorar a má circulação.

O uso dos chás ou remédios caseiros para melhorar a circulação não devem substituir o uso de medicamentos prescritos pelo médico, podendo ser usados apenas como um complemento ao tratamento para melhorar a circulação.

Alguns exemplos de chás que podem ajudar a melhorar a circulação são:

1. Chá de carqueja

O chá de carqueja é uma boa opção de remédio caseiro para melhorar a circulação pois possui substâncias com propriedades que ajudam a diminuir o acúmulo de gorduras nos vasos sanguíneos, além de ter ação diurética que diminui o volume de líquidos nos vasos sanguíneos, o que pode ajudar a diminuir o inchaço e a baixar a pressão alta.

Ingredientes

  • 2 colheres de sopa de hastes de carqueja;
  • 1 litro de água fervente.

Modo de preparo

Colocar as hastes da carqueja na água fervente e deixar repousar por 10 minutos. Coar e beber até 3 xícaras por dia.

Outra forma de usar a carqueja para obter seus benefícios, é utilizar a carqueja em cápsulas que pode ser tomada 1 cápsula de 300 mg, de 1 a 3 vezes por dia.

O chá de carqueja não deve ser consumido por crianças, mulheres grávidas ou em amamentação. Além disso, esse chá deve ser usado com cautela por pessoas diabéticas ou hipertensas, pois pode aumentar o efeito dos medicamentos para o tratamento dessas doenças.

2. Chá de meliloto

O chá de meliloto, preparado com a planta medicinal Melilotus officinalis é indicado para o tratamento de diversas doenças venosas, como veias varicosas ou insuficiência venosa, pois possui substâncias, como melitosídeos, ácido cinâmico, saponosídeos e campferol, que ajudam a estimular a circulação sanguínea e linfática, diminuindo o inchaço e a sensação de pernas pesadas ou cansadas.

Ingredientes

  • 1 colher de chá de partes aéreas de meliloto;
  • 150 mL de água.

Modo de preparo

Ferver a água e colocar as ervas, deixando repousar cerca de 10 minutos. Deve-se beber 2 a 3 xícaras por dia.

O chá de melioloto não deve ser usado por mulheres grávidas, lactantes ou por pessoas que tenham doenças no fígado.

3. Chá de castanha-da-índia

O chá de castanha-da-índia, preparado com a planta medicinal Aesculus hippocastanum, é rico em escina, uma substância com propriedades venotônicas que ajuda a melhorar a circulação sanguínea, aumentando a força das paredes das veias e melhorando o retorno sanguíneo. 

Esse chá pode ser usado para auxiliar no tratamento de varizes, veias varicosas ou insuficiência venosa, ajudando a aliviar a sensação de peso nas pernas, por exemplo.

Ingredientes

  • 2 sachês de castanha-da-índia;
  • 500 mL de água.

Modo de preparo

Colocar a água para ferver. Em seguida, desligar o fogo e adicionar os sachês de castanha da índia, deixando repousar por cerca de 10 minutos. Deixar amornar, coar e beber 3 xícaras depois das refeições.

O chá de castanha da índia não deve ser usado durante a gravidez, amamentação, ou por crianças. Além disso, esse chá deve ser usado com cautela por pessoas que têm diabetes, problemas digestivos ou problemas de pele. 

4. Chá verde

O chá verde, feito da planta Camellia sinensis, possui compostos fenólicos na sua composição, especialmente  epigalocatequina, que tem propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes, que ajudam a relaxar os vasos sanguíneos, melhorando a circulação e a saúde cardiovascular.

Esse chá pode ser usado para auxiliar no tratamento da má circulação, além de ajudar a controlar a pressão arterial, e a regular os níveis de colesterol, principalmente o colesterol ruim (LDL), que pode se depositar nos vasos sanguíneos e aumentar o risco de doenças cardiovasculares, como infarto ou AVC. 

O chá verde pode ser utilizado na forma de chá, infusão ou extrato natural, e deve ser utilizado com orientação médica pois o uso em excesso pode prejudicar o fígado. Veja outras formas de usar o chá verde

Ingredientes

  • 1 colher (de chá) de folhas de chá verde ou 1 sachê de chá verde;
  • 1 xícara de água.

Modo de preparo

Colocar a água para ferver, desligar o fogo, adicionar as folhas ou o sachê de chá verde e deixar repousar por 10 minutos. Coar ou retirar o sachê e beber em seguida. Este chá pode ser consumido de 2 a 4 vezes ao dia, ou conforme orientação médica. No entanto, para pessoas que sofrem de pressão alta, a recomendação é beber no máximo 3 xícaras de chá verde por dia.

O chá verde não deve ser consumido por crianças, mulheres grávidas ou que estejam amamentando, por pessoas que têm insônia, hipertireoidismo, gastrite ou hipertensão arterial. Além disso, por conter cafeína na sua composição, deve-se evitar tomar este chá no fim do dia ou em quantidade superior à recomendada.

5. Chá de ginseng

O chá de ginseng, preparado com a planta medicinal Panax ginseng, é rico em ginecosídeos, alcalóides e polifenóis, com ação antioxidante, que ajuda a relaxar os vasos sanguíneos e a proteger as células dos vasos sanguíneos dos danos causados pelos radicais livres, melhorando má circulação.

Além disso, o ginseng aumenta o fluxo sanguíneo, melhorando o transporte de oxigênio para as células. Veja outros benefícios do ginseng para a saúde

Ingredientes

  • 2 g ou 1 colher (de sopa) de ginseng em pó;
  • 300 mL de água.

Modo de preparo

Adicionar o pó de ginseng na água e ferver. Em seguida, desligar o fogo, deixar repousar por cerca de 10 minutos, esperar amornar e beber. Este chá pode ser bebido de 3 a 4 vezes por dia.

A dose máxima de ginseng é de 5 g a 8 g por dia, desta forma, não deve-se ultrapassar a quantidade de 4 xícaras por dia, pois pode causar efeitos colaterais como agitação, irritabilidade, confusão mental e insônia.

O chá de ginseng não deve ser usado por crianças com menos de 12 anos de idade, em caso de gravidez ou amamentação, por pessoas que tenham doenças cardíacas ou asma, ou que estejam tomando remédios para depressão ou diabetes.

6. Chá de alecrim

O chá de alecrim, preparado com a planta medicinal Rosmarinus officinalis, é rico em substâncias como ácido rosmarínico, ácido carnósico e óleos essenciais, com propriedades anti-inflamatórias, antioxidantes e antitrombóticas, que podem ajudar a melhorar circulação sanguínea e auxiliar no tratamento de varizes ou trombose, por exemplo.

Ingredientes

  • 1 colher (de chá) de folhas frescas de alecrim;
  • 250 mL de água fervente.

Modo de preparo

Adicionar as folhas de alecrim, à água fervente, tampar e deixar repousar por 5 a 10 minutos. Coar, deixar amornar e tomar de 3 a 4 vezes por dia.

O chá de alecrim não deve ser consumido por crianças com menos de 5 anos, mulheres grávidas ou em amamentação, ou por pessoas que tenham doenças no fígado, pois esse chá pode piorar os sintomas e a doença.

Além disso, o chá de alecrim pode interagir com alguns medicamentos, como anticoagulantes, diuréticos, lítio e medicamentos para diabetes ou para regular a pressão arterial, e, por isso, caso se esteja fazendo uso de algum desses medicamentos é importante consultar o médico antes de tomar o chá.

Assista o video a seguir com outros benefícios do chá de alecrim para a saúde e como preparar corretamente:

Conteúdo original publicado por Tua Saúde