Amigdalectomia: o que é, quando fazer, pós-operatório e alimentação

A amigdalectomia é a cirurgia de retirada das amígdalas, que normalmente é indicada nos casos de amigdalite crônica ou quando o tratamento com antibióticos não apresenta os resultados esperados.

Junto com as amígdalas, normalmente também são retiradas as adenoides, um conjunto de tecidos que fica por cima das amígdalas e que também pode infeccionar.

Este tipo de cirurgia pode ser feito gratuitamente pelo SUS ou em hospitais particulares, de acordo com a indicação da cirurgia. Veja também como é feita a cirurgia de adenoide.

Quando fazer a cirurgia

A amigdalectomia está recomendada nos seguintes casos:

  • Amigdalite crônica, que surge mais de 3 vezes por ano;
  • Amigdalite que não melhora com o uso de antibióticos;
  • Dificuldade para respirar devido ao tamanho das amígdalas.

Em alguns casos, o otorrinolaringologista também pode indicar a cirurgia quando as amigdalites provocam sintomas muito intensos, mesmo que não aconteçam mais de 3 vezes por ano. Confira os sintomas de amigdalite, suas causas e formas de tratamento.

Como é feita a cirurgia

A cirurgia para amigdalite é feita sob anestesia geral e pode durar entre 30 minutos e 1 hora. Normalmente, é preciso ficar internado algumas horas até se recuperar totalmente, mas é possível voltar para casa ainda no mesmo dia. Ainda assim, devido ao risco de hemorragia e dores, alguns médico podem aconselhar o internamento por, pelo menos, 1 noite.

Possíveis complicações

Apesar de ser um procedimento seguro, podem haver algumas complicações, principalmente sangramentos, dor e vômitos, além dos riscos relacionados à anestesia geral, como problemas cardiovasculares, problemas respiratórios, reação alérgica, confusão mental. Algumas pessoas relatam que após a cirurgia tiveram a voz modificada, dificuldade para engolir e falta de ar, além de tosse, náusea e vômito.

Pós-operatório da amigdalectomia

A recuperação da cirurgia para amigdalite dura entre 7 dias a 2 semanas. Porém, nos primeiros 5 dias, é comum a pessoa sentir uma intensa dor na garganta e, por isso, o médico pode receitar remédios analgésicos, como Paracetamol ou Dipirona.

Além disso, durante a recuperação as pessoas devem ficar de repouso, evitando fazer esforços, mas não é necessário o repouso absoluto. Outras indicações importantes são:

  • Beber muitos líquidos, principalmente água;
  • Evitar leite e alimentos gordurosos no primeiro dia;
  • Comer alimentos frios ou gelados;
  • Evitar alimentos duros e ásperos durante 7 dias.

Durante o pós-operatório da cirurgia para amigdalite é normal que os pacientes sintam náuseas, vômitos e dor. No entanto se surgirem sintomas como febre alta que dura mais de 3 dias ou sangramento excessivo, é indicado ir ao médico.

Alimentação após a cirurgia

É recomendado comer alimentos de fácil deglutição, como por exemplo:

  • Caldos e sopas passados no liquidificador;
  • Ovo, carne e peixe picados ou moídos, acrescentados às sopas liquidificadas ou junto ao purê;
  • Sucos e vitaminas de frutas e de vegetais;
  • Fruta cozida, assada ou amassada;
  • Arroz bem cozido e purê de legumes como batata, cenoura ou abóbora;
  • Leguminosas amassadas, como feijão, grão-de-bico ou lentilha;
  • Leite, iogurte e queijos cremosos, como requeijão e ricota;
  • ​Mingau de maisena ou aveia com leite de vaca ou vegetal;
  • Miolo de pão umedecido em leite, café ou caldos;
  • Líquidos: água, chá, café, água de coco.
  • Outros: gelatina, geleia, pudim, sorvetes, manteiga.

Água à temperatura ambiente é mais indicado e deve-se evitar os alimentos muito quentes ou muito gelados. Biscoito, torrada, pão e outros alimentos secos devem ser evitados na primeira semana, se desejar comer um destes alimentos deve molhar na sopa, num caldo ou suco antes de levar à boca.

Confira estas e outras dicas sobre o que comer após a cirurgia, no vídeo seguinte:

Conteúdo original publicado por Tua Saúde