Bupropiona: para que serve, como tomar e efeitos colaterais

A bupropiona é um antidepressivo indicado o tratamento do transtorno depressivo maior (TDM), mas também pode ser usado para pessoas que desejam parar de fumar, pois age reduzindo a vontade de fumar, além de diminuir os sintomas da síndrome de abstinência da nicotina, como ansiedade, dificuldade de concentração, insônia, fome ou irritabilidade, por exemplo. 

Este remédio pode ser encontrado em farmácias ou drogarias na forma de comprimidos de 150 mg ou 300 mg, com os nomes comerciais Zyban, Wellbutrin, Bup ou Zetron, ou como genérico sob a designação “cloridrato de bupropiona”.

A bupropiona deve ser usada somente com indicação médica e é vendida apenas com prescrição médica, e retenção da receita pela farmácia. 

Para que serve

A bupropiona é indicada para o tratamento do transtorno depressivo maior (TDM), pois ajuda a promover o equilíbrio de substâncias químicas no cérebro relacionadas com a depressão, como a noradrenalina e a dopamina, levando a uma melhora dos sintomas, como cansaço mental ou físico, angústia ou tristeza, por exemplo. Saiba identificar todos os sintomas do TDM.  

Além disso, a bupropiona é capaz de reduzir a vontade de fumar de pessoas com dependência à nicotina, sendo por isso, indicada para pessoas que desejam parar de fumar.

Como tomar

O comprimido de bupropiona deve ser tomado por via oral, com um copo de água, nos horários estabelecidos pelo médico. O comprimido não deve ser partido, triturado ou mastigado.

A bupropiona pode demorar de 1 semana até meses de tratamento para ter o efeito desejado, e seu uso deve ser feito somente com indicação e acompanhamento médico.

As doses normalmente indicadas da bupropiona, para adultos com mais de 18 anos, variam de acordo com a condição a ser tratada e incluem:

1. Transtorno depressivo maior

A dose usual recomendada para a maioria dos adultos é de 1 comprimido de 150 mg por dia, no entanto, o médico pode aumentar a dose para 300 mg por dia, caso a depressão não melhore após várias semanas. As doses devem ser tomadas com pelo menos 8 horas de intervalo, evitando o horário próximo da hora de dormir.

2. Parar de fumar

O cloridrato de bupropiona deve começar a ser usado enquanto ainda se estiver a fumar e deve-se estabelecer uma data para parar de fumar durante a segunda semana do tratamento.

A dose normalmente recomendada de bupropiona para adultos é:

  • Nos três primeiros dias, um comprimido de 150 mg, uma vez ao dia;
  • Do quarto dia em diante, um comprimido de 150 mg, duas vezes ao dia, com pelo menos 8 horas de intervalo e nunca próximo a hora de dormir.

Se não se obtiver progresso após 7 semanas de tratamento com a bupropiona, o médico pode considerar a interrupção do tratamento.

É importante não interromper o tratamento sem a orientação médica.

Possíveis efeitos colaterais

Os efeitos colaterais mais comuns que podem surgir com o uso de cloridrato de bupropiona são insônia, dor de cabeça, boca seca, zumbido no ouvido, ou distúrbios gastrintestinais, como náuseas e vômitos.

Com menos frequência podem ocorrer reações alérgicas, perda de apetite, tremores, vertigem, mudanças no paladar, dificuldade de concentração, dor abdominal, prisão de ventre, erupção cutânea, coceira, distúrbios de visão, transpiração, febre e fraqueza.

Além disso, em alguns casos a bupropiona pode levar ao surgimento de sintomas depressivos ou piorar os sintomas da depressão ou da ansiedade pré-existentes. Por isso, deve-se comunicar ao médico caso surjam sintomas como alterações de humor ou comportamento, ataques de pânico, dificuldade para dormir, impulsividade, irritação, agitação, agressividade ou pensamentos sobre suicídio.

Quem não deve tomar

O cloridrato de bupropiona não deve ser usado por mulheres grávidas ou em amamentação, por menores de 18 anos, com epilepsia ou outros transtornos convulsivos, com algum distúrbio de alimentação, usuário frequente de bebidas alcoólicas ou que está tentando parar de beber ou parou há pouco tempo. 

Além disso, esse remédio também não deve ser usado por pessoas alérgicas a qualquer componente da fórmula, que tomam outros medicamentos que contenham bupropiona ou que tomaram recentemente tranquilizantes, sedativos, ou medicamentos inibidores da monoaminoxidase usados na depressão ou doença de Parkinson.

Conteúdo original publicado por Tua Saúde