Contactante de morador de Indaiatuba com varíola dos macacos está assintomático e também cumpre isolamento

O paciente, de 28 anos, é o quarto caso confirmado da varíola dos macacos no estado de São Paulo, e o sexto no Brasil. A informação da infecção foi divulgada pelo Ministério da Saúde após confirmação laboratorial pelo Instituto Adolfo Lutz.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, o paciente apresentou lesões na pele e teve um episódio de febre, mas segue em bom estado de saúde e o isolamento é feito em casa.

“Assim que o paciente é colocado como suspeito, obrigatoriamente ele precisa ir para o isolamento. Ele e os contactantes diretos, mesmo antes de esse exame vir como positivo. Foi o que aconteceu aqui no município”, explicou a secretária de Saúde de Indaiatuba, Graziela Garcia.

Já o contactante, que tem entre 25 e 30 anos, não apresentou nenhum sintoma da doença, mas também ficará de quarentena, por precaução, “até segunda ordem”.

“Os contactantes são monitorados, precisam ser monitorados para o aparecimento de algum sintoma, para que a gente possa acompanhar a evolução de algum caso que possa ter sido gerado por esse primeiro”, completou Graziela Garcia.

1 de 2
Varíola dos macacos é semelhante à varíola que já foi erradicada, mas menos severa e menos infecciosa — Foto: SCIENCE PHOTO LIBRARY/BBC

Varíola dos macacos é semelhante à varíola que já foi erradicada, mas menos severa e menos infecciosa — Foto: SCIENCE PHOTO LIBRARY/BBC

Caso ‘importado’, diz Ministério da Saúde

Assim como os outros três casos confirmados no estado, a contaminação é considerada importada, já que o homem tem histórico de viagem à Europa. Segundo o Ministério da Saúde, todas as medidas de contenção e controle foram adotadas imediatamente, como o isolamento do paciente e rastreamento dos seus contatos.

“O Ministério da Saúde, por meio da Sala de Situação de Monkeypox e do CIEVS Nacional, segue em articulação direta com o estado de São Paulo para monitoramento do caso e rastreamento dos contados”, diz o comunicado.

Até o momento o Brasil registra seis casos confirmados, sendo quatro em São Paulo (dois na capital, um em Vinhedo e outro em Indaiatuba), um no Rio Grande do Sul e um no Rio de Janeiro – há 13 casos suspeitos em investigação.

Foi ao hospital com lesões

O paciente de Indaiatuba com histórico de viagem à Espanha procurou o Hospital Santa Ignês, da rede particular da cidade, às 23h30 da última segunda-feira (13).

Em nota, a unidade médica informou que o homem de 28 anos apresentava “lesões papulares” e que o plantonista levantou a hipótese de infecção pelo “vírus monkeypox”, “procedendo imediato isolamento do paciente e comunicando a vigilância sanitária do município.”

“Procedemos a coleta de todos os exames conforme protocolo do estado e em comum acordo com a vigilância do município. Paciente segue em isolamento domiciliar sendo acompanhado pela equipe do município”, informa a nota do Hospital Santa Ignês.

São Paulo confirmou na noite de terça (14) um terceiro caso de varíola dos macacos no estado: um homem que reside na capital paulista, de 31 anos, que está internado no Instituto de Infectologia Emílio Ribas com bom quadro clínico.

O primeiro caso da doença no país foi confirmado no dia 9 de junho pelo Instituto Adolfo Lutz. O paciente, um homem de 41 anos que viajou à Espanha, segundo país com o maior número de casos da doença, foi colocado em isolamento no Instituto de Infectologia Emílio Ribas, na Zona Oeste da capital. Ele tem bom estado clínico.

O segundo paciente é um homem de 29 anos que viajou à Europa e está isolado em sua casa em Vinhedo, interior de São Paulo.

Sintomas da varíola dos macacos

A varíola dos macacos vai virar uma pandemia?

  • Febre
  • Dor de cabeça
  • Dores musculares
  • Dor nas costas
  • Gânglios (linfonodos) inchados
  • Calafrios
  • Exaustão
  • Dentro de 1 a 3 dias (às vezes mais) após o aparecimento da febre, o paciente desenvolve uma erupção cutânea, geralmente começando no rosto e se espalhando para outras partes do corpo.
  • As lesões passam por cinco estágios antes de cair, segundo o Centro de Controle de Doenças (CDC) dos Estados Unidos. A doença geralmente dura de 2 a 4 semanas.

2 de 2
Fique atento aos sintomas da varíola doa macacos — Foto: Getty Images

Fique atento aos sintomas da varíola doa macacos — Foto: Getty Images

Conteúdo original publicado por g1.globo