Covid-19: Brasil está há 8 semanas entre os 5 países com mais mortes, aponta OMS

Um boletim da Organização Mundial de Saúde (OMS) divulgado nesta quarta-feira (29) apontou que o Brasil está há 8 semanas entre os 5 países com mais mortes pela Covid-19 no mundo. O país também aparece há 4 semanas entre os que têm maior número de casos.

Desde a semana de 2 a 8 de maio, o país aparece entre os que mais perderam vidas para a doença, segundo os levantamentos semanais da OMS. Durante todo esse período, os Estados Unidos foram os que registraram a maior quantidade de óbitos.

China, Rússia e Itália também estiveram entre os 5 países com mais mortes nas cinco últimas semanas.

Na semana de 20 a 26 de junho, foram registrados 1.313 óbitos pela doença no Brasil, segundo o monitoramento da OMS. O número corresponde a cerca de 15% dos mais de 8,5 mil óbitos registrados em todo o mundo na última semana, segundo a OMS.

Covid: países com mais mortes entre 20 e 26 de junho

Fonte: OMS

Já os casos conhecidos no território brasileiro somaram quase 350 mil na última semana – o terceiro maior número do mundo, atrás apenas de Estados Unidos (com mais de 700 mil casos) e Alemanha (com mais de 500 mil).

Covid: países com mais casos entre 20 e 26 de junho

Fonte: OMS

O país aparece entre os 5 com mais casos desde a semana de 30 de maio a 5 de junho. Nesse período, os Estados Unidos também foram o país que mais registrou casos. O Brasil ficou em quarto em todas as semanas, com Alemanha, Itália, China, França e Austrália também figurando entre os que tiveram mais casos.

A OMS alertou para a tendência de aumento de casos da doença em todo o mundo pela terceira semana consecutiva.

Em todo o mundo, foi visto um aumento de 18% no número de casos, com a região do Mediterrâneo Oriental liderando o crescimento percentual, com 47% de aumento. A região engloba 21 países do Oriente Médio, incluindo os do Golfo e alguns do norte da África.

A Europa viu um aumento de 33% nos casos, e o Sudeste Asiático, 32%. As Américas tiveram um aumento percentual de 14% nos casos. Já a África e o Pacífico Ocidental tiveram, respectivamente, quedas de 39% e 3%.

A OMS alertou, entretanto, que as tendências vistas devem ser “interpretadas com cautela, pois vários países vêm mudando progressivamente as estratégias de testagem da Covid-19, resultando em números gerais mais baixos de testes realizados e, consequentemente, números mais baixos de casos detectados”.

Conteúdo original publicado por g1.globo