Dicloridrato de betaistina: para que serve, como tomar e posologia

O dicloridrato de betaistina é um remédio indicado para o tratamento da síndrome de Meniére, aliviando os sintomas como tontura, vertigem, náusea, vômito e zumbido nos ouvidos, pois ajuda a melhorar a circulação sanguínea do ouvido interno, diminuindo a pressão dentro do ouvido.

Esse remédio pode ser encontrado em farmácias ou drogarias com os nomes comerciais Labirin, Betaserc, Betina, Betadine ou Betadine XR, ou como genérico sob a designação “dicloridrato de betaistina”.

O dicloridrato de betaistina é vendido na forma de comprimidos simples de 8, 16 ou 24 mg, ou comprimidos de liberação prolongada de 32 ou 48 mg, sendo indicado somente para adultos, e usado somente com indicação médica.

Para que serve

O dicloridrato de betaistina é indicado para o tratamento dos sintomas da síndrome de Meniére, como vertigem, náuseas, vômitos, zumbido nos ouvidos, perda ou dificuldade de audição e sensação de tontura. Veja outros sintomas da síndrome de Meniére.  

Além disso, esse remédio é indicado para o tratamento de tontura de origem vestibular, como a neuronite vestibular ou a labirintite, por exemplo.

Como usar e posologia

O dicloridrato de betaistina deve ser tomado por via oral, com um copo de água, antes ou após uma refeição. No entanto, é recomendado que o comprimido seja tomado após uma alimentação, para evitar irritação no estômago. 

A posologia do dicloridrato de betaistina para adultos com mais de 18 anos normalmente recomendada varia de acordo com a apresentação do comprimido que inclui:

  • Dicloridrato de betaistina 8 mg: a dose recomendada é de 1 comprimido simples de 8 mg, 3 vezes por dia, ou seja a cada 8 horas;
  • Dicloridrato de betaistina 16 mg: a dose recomendada é de meio comprimido a 1 comprimido simples de 16 mg, 3 vezes por dia, ou seja a cada 8 horas;
  • Dicloridrato de betaistina 24 mg: a dose recomendada é de 1 comprimido simples de 24 mg, 2 vezes por dia, ou seja, a cada 12 horas;
  • Dicloridrato de betaistina 32 mg (Betadine XR): a dose normalmente recomendada é de 1 comprimido de liberação prolongada de 32 mg, 1 vez por dia, ou seja, a cada 24 horas;
  • Dicloridrato de betaistina 48 mg (Betadine XR): a dose normalmente recomendada é de 1 comprimido de liberação prolongada de 48 mg, 1 vez por dia, ou seja, a cada 24 horas.

É importante que os horários de tomar a betaistina sejam feitos de forma correta, para manter os níveis constantes do remédio no organismo, de forma a evitar a piora ou novas crises de vertigem. 

No caso de esquecer uma dose do comprimido simples de 8, 16 ou 24 mg, deve-se pular a dose esquecida e tomar o próximo comprimido no horário programado normalmente. Não se deve tomar dois comprimidos ao mesmo tempo para compensar a dose esquecida.

Já no caso do comprimido de liberação prolongada (Betadine XR 32 mg ou 48 mg), se uma dose não for tomada no horário correto, pode-se tomar o comprimido em até 6 horas do esquecimento. Após esse período, deve-se pular a dose esquecida e tomar a próxima dose no horário habitual. 

Possíveis efeitos colaterais

Os efeitos colaterais mais comuns que podem surgir durante o tratamento com o dicloridrato de betaistina são má digestão, azia, dor ou inchaço no estômago, dor de cabeça, enjoos ou sensação de mal estar.

Além disso, o dicloridrato de betaistina pode causar reação alérgica que necessita de atendimento médico imediato. Por isso, deve-se interromper o tratamento e procurar o pronto socorro mais próximo ao apresentar sintomas como formação de bolhas ou vermelhidão na pele, urticária, dificuldade para respirar, sensação de garganta fechada, inchaço na boca, língua ou rosto, ou queda da pressão arterial. Saiba identificar todos os sintomas de reação alérgica grave.   

O dicloridrato de betaistina dá sono?

O dicloridrato de betaistina pode causar sono de forma leve, não sendo um efeito colateral comum desse remédio, sendo a sonolência mais frequente quando utilizado doses maiores do que as recomendadas. Nesse caso, esse remédio pode causar também náusea, dor abdominal, convulsões ou complicações cardíacas ou pulmonares.

Quem não deve usar

O dicloridrato de betaistina não deve ser usado por crianças, adolescentes com menos de 18 anos, mulheres grávidas ou em amamentação, ou por pessoas que tenham tumor da glândula adrenal, chamado feocromocitoma.

Além disso, esse remédio não deve ser tomado por pessoas que tenham alergia ao dicloridrato de betaistina ou qualquer outro componente da fórmula. 

Conteúdo original publicado por Tua Saúde