Linhagem BA.2 da variante ômicron passa a ser a dominante do coronavírus no Brasil, diz Fiocruz

A linhagem BA.2 da variante ômicron respondeu por 63,3% das amostras do coronavírus sequenciadas entre 3 a 16 de junho no Brasil, de acordo com boletim da Rede Genômica Fiocruz divulgados nesta sexta-feira (24).

Agora, as linhagens mais frequentes no país são a BA.1, a BA. 1.1 e a BA.2, que juntas, respondem por mais de 70% dos genomas sequenciados por amostragem no Brasil.

De acordo com o mapeamento da Rede Genômica Fiocruz, foram encontradas 105 amostras recombinantes em nove estados (Pará, Pernambuco, Bahia, Minas Gerais, São Paulo, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Goiás e Paraná) e no Distrito Federal. A mais frequente foi a XQ (XAG*), com 79 amostras.

Até o momento já foram caracterizadas 1.917 linhagens de Sars-CoV-2, mas apenas uma parcela delas causaram efeitos nocivos na saúde da população durante a pandemia. As variantes monitoradas com prioridade são aquelas que possuem maior capacidade de transmissão e infecção, maior capacidade de escape de anticorpos ou ambas.

Conteúdo original publicado por g1.globo