Melatonina: efeitos colaterais e contra-indicações

A melatonina pode causar efeitos colaterais, como sonolência excessiva durante o dia, dificuldade de concentração, dor de cabeça, agitação ou confusão mental, por exemplo, principalmente quando utilizada por longo prazo ou em doses altas, que geralmente variam de 1 a 10 mg.

A melatonina é um hormônio naturalmente produzido pelo corpo mas que pode ser obtido na forma de suplemento alimentar ou medicamento para melhorar a qualidade do sono e ajudar a tratar a insônia.

Embora seja uma substância que também está presente no organismo, o uso de medicamentos ou suplementos contendo melatonina pode provocar alguns efeitos colaterais, e por isso, seu uso deve ser feito somente com indicação médica, como doses e pelo tempo de tratamento estabelecido pelo médico.

Efeitos colaterais mais comuns

A melatonina é geralmente bem tolerada quando usada em baixas doses e a curto prazo, e os efeitos colaterais que podem ocorrer durante o tratamento são muito raros. Porém, embora seja pouco comum pode ocorrer efeitos colaterais como:

  • Sonolência excessiva durante o dia;
  • Falta de concentração;
  • Piora da depressão;
  • Dor de cabeça e enxaqueca;
  • Dor de barriga ou diarreia;
  • Náusea ou dor de estômago;
  • Perda do apetite;
  • Irritabilidade, nervosismo, ansiedade e agitação;
  • Sonhos vívidos ou pesadelos;
  • Tontura, fraqueza ou confusão mental;
  • Aumento da pressão arterial;
  • Aftas ou boca seca;
  • Dermatite, erupção cutânea e pele seca e coceira generalizada;
  • Suor noturno;
  • Dor no peito, nas articulações ou nas costas;
  • Presença de açúcar ou proteínas na urina;
  • Alteração da função hepática;
  • Pele ou olhos amarelados;
  • Aumento de peso.

A intensidade dos efeitos colaterais depende da quantidade de melatonina ingerida. Quanto maior a dose, maior será a probabilidade de sofrer com algum destes efeitos colaterais.

Efeitos colaterais em crianças

A melatonina, quando utilizada por crianças, pode causar efeitos colaterais como:

  • Tontura;
  • Perda involuntária da urina durante o sono;
  • Dor de cabeça;
  • Náusea;
  • Diarréia.

Além disso, crianças têm um maior risco de desenvolver convulsões, especialmente quando possuem distúrbios neurológicos graves.

Por isso, o uso da melatonina por crianças deve ser feito somente se recomendado pelo pediatra, que deve acompanhar todo o tratamento e o surgimento de efeitos colaterais.

Contra-indicações da melatonina

Embora seja uma substância geralmente bem tolerada, a melatonina não deve ser utilizada durante a gravidez e a amamentação ou em pessoas com alergia a qualquer um dos componentes dos comprimidos.

Além disso, deve-se ter em atenção que existem várias formulações e doses diferentes de melatonina, sendo que as gotas são mais aconselhadas para bebês e crianças e os comprimidos para adultos, sendo estes últimos contra-indicados em crianças. Além disso, doses superiores a 1mg por dia de melatonina, só devem ser administrados se forem prescritos pelo médico, já que a partir dessa dose, há um maior risco de ocorrerem efeitos colaterais.

A melatonina pode causar sonolência, por isso, as pessoas que tenham este sintoma, devem evitar operar máquinas ou dirigir veículos.

Como tomar melatonina

A suplementação de melatonina deve ser indicada pelo médico, sendo normalmente recomendado o seu uso em casos de insônia, má qualidade do sono, enxaqueca ou menopausa, por exemplo. A dose de melatonina é indicada pelo médico de acordo com o objetivo da suplementação.

No caso de insônia, por exemplo, a dose normalmente indicada pelo médico para adultos com mais de 19 anos, é de 0,21 mg de melatonina, uma vez por dia, cerca de 1 a 2 horas antes da hora de deitar e depois de comer. Saiba como tomar a melatonina.

No caso de bebês e crianças, a dose da melatonina deve ser orientada pelo pediatra de acordo com a condição de saúde da criança, e administrada em gotas, à noite.

Conteúdo original publicado por Tua Saúde