O vírus que atinge milhões em todo o mundo e pode causar microcefalia em bebês

O exame de IgG para citomegalovírus é um exame sorológico que tem como objetivo avaliar se a pessoa possui anticorpos contra o vírus citomegalovírus (CMV), que normalmente são formados após uma infecção por esse vírus. Esse exame é principalmente indicado durante a gravidez, sendo normalmente realizado juntamente com a dosagem de IgM, para saber se há infecção passada ou recente e, assim, ser possível iniciar o tratamento mais adequado, caso haja necessidade.

É muito importante que esse exame seja realizado logo no primeiro trimestre de gravidez, isso porque se a mulher for infectada durante esse período, há maior chance de ser transmitida para o bebê e levar a complicações, como microcefalia, surdez congênita e epilepsia, por exemplo.

Apesar de ser frequentemente solicitado na gravidez, o exame de IgG para citomegalovírus pode ser recomendado para todas as pessoas, principalmente quando existe suspeitas de infecção. Conheça mais sobre o citomegalovírus.

O que significa IgG reagente

O resultado IgG reagente para citomegalovírus indica que a pessoa possui anticorpos contra o vírus, o que pode ter acontecido devido a infecção passada ou recente. Os valores de referência para o citomegalovírus IgG podem variar de acordo com o laboratório, no entanto o teste sorológico é considerado positivo ou reagente quando maior ou igual a 1 U/mL.

É importante salientar que um resultado positivo ou reagente de IgG não necessariamente indica que a infecção está ativa. Para isso, é importante que seja realizado o exame de IgM para citomegalovírus, já que essa imunoglobulina é a primeira a ser produzida quando existe uma infecção. Conheça mais sobre o IgM e o IgG.

Como confirmar a infecção por citomegalovírus

Os sintomas de uma infecção por citomegalovírus são pouco específicos, incluindo dor muscular, febre acima de 38ºC ou ínguas doloridas. Além disso, em muitos casos não existe qualquer tipo de sintoma, já que o vírus pode ficar adormecido por muito tempo. Por esse motivo, a melhor forma de confirmar a infecção é através da realização de exame de sangue, que deve ser indicado pelo médico.

Como entender o resultado do exame

O diagnóstico é feito com o exame de sangue CMV durante a gestação, podendo o resultado ser:

  • IgG maior ou igual a 1 U/mL: é considerado que o exame é positivo ou reagente, podendo ser indicativo de que a pessoa entrou em contato com o vírus em uma infecção antiga ou teve uma infecção recente, sendo importante avaliar a presença de IgM na circulação para verificar se a infecção está ativa;
  • IgG menor que 1 U/mL: é considerado que o exame é negativo ou não reagente, o que pode ser indicativo de que a pessoa nunca teve em contato com o vírus ou esteve há poucos dias com uma infecção aguda, sendo importante avaliar a presença ou ausência de IgM;
  • IgM não reagente ou negativo e IgG reagente ou positivo: a mulher já teve o contato com o vírus há mais tempo e o risco de transmissão é mínimo.
  • IgM reagente ou positivo e IgG não reagente ou negativo: infecção aguda pelo citomegalovírus, é mais preocupante, o médico deverá orientar o tratamento.
  • IgM e IgG reagentes ou positivos: deve ser realizado um teste de avidez. Caso o teste seja inferior a 30%, há maior risco de infecção do bebê durante a gravidez.
  • IgM e IgG não reagentes ou negativos: nunca houve contato com o vírus e, por isso, deve-se ter medidas de prevenção para evitar uma possível infecção.

Quando existe suspeita de infecção no bebê, pode ser retirada uma amostra de líquido amniótico para avaliar a presença do vírus. Porém, de acordo com o Ministério da Saúde, o exame no bebê só deve ser feito depois dos 5 meses de gravidez e 5 semanas após a infecção da gestante.

Como tratar para evitar a transmissão

O tratamento para o citomegalovírus na gravidez deve ser feito conforme a orientação do obstetra, sendo indicado o uso de medicamentos antivirais, como Aciclovir, por exemplo, ou injeção de imunoglobulinas, que tem como objetivo estimular o sistema imune e combater a infecção, evitando a transmissão para o bebê. Durante o tratamento, o médico deve indicar regularmente a realização de exames para acompanhar o desenvolvimento do bebê e garantir que o vírus não está causando alterações. Saiba mais detalhes sobre o tratamento do citomegalovírus na gravidez.

O que fazer para evitar a infecção na gravidez

Uma vez que ainda não existe uma vacina que ajude a proteger contra o vírus, é importante que a gestante siga algumas recomendações gerais para evitar uma infecção, como:

  • Usar camisinha no contato íntimo;
  • Evitar frequentar locais públicos com muitas pessoas;
  • Lavar as mãos logo após trocar a fralda a um bebê ou sempre que entrar em contato com as secreções da criança, como saliva, por exemplo;
  • Não beijar crianças muito jovens na bochecha ou boca;
  • Não usar objetos que são da criança, como copos ou talheres.

As crianças são os principais responsáveis pela transmissão do citomegalovírus, por isso, estas recomendações devem ser seguidas pela grávida durante toda a gestação, principalmente se trabalhar com crianças.

Conteúdo original publicado por Tua Saúde