OMS confirma 257 casos de varíola dos macacos em 20 países fora da África

A Organização Mundial de Saúde (OMS) anunciou, neste domingo (29), que 257 casos de varíola dos macacos haviam sido confirmados, em 20 países fora da África, até o dia 26 de maio.

Outros 120 casos suspeitos estão sendo investigados. Nenhuma morte foi relatada. Até a semana passada, menos de 100 casos haviam sido confirmados pela organização.

Varíola dos macacos: veja 5 pontos sobre a doença

“A situação está evoluindo rapidamente e a OMS espera que haja mais casos identificados à medida que a vigilância se expande em países não endêmicos, bem como em países conhecidos como endêmicos que não relataram casos recentemente”, disse a entidade em comunicado.

A organização frisou que as as ações imediatas devem se concentrar em fornecer informações precisas para as pessoas que podem correr mais risco de contrair a doença; impedir a disseminação entre os grupos em risco; e proteger os profissionais de saúde da linha de frente.

Até agora, o Brasil não tem casos confirmados da doença. Na última semana, um caso suspeito na Bolívia, perto da fronteira brasileira, fez as autoridades ficarem em alerta.

Na América do Sul, já há ao menos um caso já foi confirmado – na Argentina. O levantamento da OMS, entretanto, contabilizou os casos relatados até o dia 26, e o caso argentino foi confirmado no dia 27; por isso, o país aparece como tendo apenas um caso suspeito.

Pelo mesmo motivo, o México – onde um caso foi confirmado neste sábado (28) – também não aparece no levantamento da entidade.

De acordo com a OMS, na região, apenas a Guiana Francesa tem casos sob investigação, com duas infecções suspeitas.

No resto do mundo, o Sudão – que fica no norte da África, mas onde a varíola dos macacos não é endêmica – também aparece como tendo um caso suspeito.

Até o dia 26, os casos confirmados estavam nos seguintes países, segundo a OMS:

  1. Alemanha
  2. Austrália
  3. Áustria
  4. Bélgica
  5. Canadá
  6. Dinamarca
  7. Emirados Árabes
  8. Eslovênia
  9. Espanha
  10. EUA
  11. Finlândia
  12. França
  13. Holanda
  14. Israel
  15. Itália
  16. Portugal
  17. Reino Unido
  18. República Tcheca
  19. Suécia
  20. Suíça

Conteúdo original publicado por g1.globo