Sangue grosso: o que é, sintomas e tratamento

O sangue grosso, conhecido cientificamente por hipercoagulabilidade, acontece quando o sangue fica mais espesso que o normal, ocorrendo devido a alterações dos fatores de coagulação, acabando por dificultar a passagem do sangue nos vasos sanguíneos e aumentar o risco de complicações, como AVC ou trombose, por exemplo.

Os sintomas do sangue grosso estão relacionadas com as complicações, podendo haver dor e inchaço nas pernas, dor na cabeça, perda dos membros e dor no peito, por exemplo.

O tratamento do sangue grosso pode ser feito através de remédios anticoagulantes e de uma alimentação saudável, que deve ser prescrita pelo clínico geral ou hematologista com o objetivo de prevenir a formação dos coágulos e promover a qualidade de vida da pessoa.

Sintomas de sangue grosso

O sangue grosso não tem sintomas, porém pode levar à formação de coágulos, aumentando o risco deles entupirem alguns vasos e levar à ocorrência de algumas doenças, como o AVC, trombose venosa profunda ou embolia pulmonar, o que pode resultar em alguns sintomas, sendo os principais:

  • Dor e inchaço nas pernas, especialmente nas panturrilhas, geralmente de um lado só, no caso de trombose;
  • Alteração da coloração da pele da perna, o que pode ser indicativo de trombose;
  • Dor na cabeça, no caso de AVC ou derrame cerebral;
  • Perda da força em membros e alteração da fala, devido à AVC ou derrame;
  • Dor no peito e dificuldade em respirar fundo, no caso de tromboembolismo pulmonar.

Na presença de sinais e sintomas, é importante que o cardiologista, hematologista ou clínico geral seja consultado para que sejam analisados e, assim, seja possível iniciar o tratamento mais adequado.

Como é feito o diagnóstico

O diagnóstico do sangue grosso normalmente é feito quando a pessoa apresenta sinais e sintomas de alteração na coagulação sanguínea e, consequentemente, de coágulos.

Assim, o médico pode indicar a realização do coagulograma, que tem como objetivo avaliar as características da coagulação sanguínea, além de também poder ser indicada a realização do hemograma e a avaliação das características do sangue coletado no momento e após a coleta.

Por que acontece

O aumento da espessura do sangue acontece devido a alterações no processo de coagulação, o que pode acontecer mais facilmente em pessoas com obesidade, história de trombose na família, gravidez, uso de anticoncepcional oral e no período após alguma cirurgia, além de também ter maior risco em em pacientes portadores de doença hematológicas que levam a distúrbios da coagulação

Possíveis complicações

Quando o sangue fica grosso, há maior risco de formação de coágulos, que pode aumentar o risco de desenvolvimento de algumas doenças, como por exemplo:

1. Acidente Vascular Cerebral (AVC)

Os coágulos formados como consequência do sangue grosso pode favorecer a ocorrência de um Acidente Vascular Cerebral (AVC) isquêmico, já que há alteração no fluxo de sangue para o cérebro devido à presença do coágulo dentro do vaso, o que dificulta a passagem de sangue e causa lesões nas células cerebrais, levando ao aparecimento de alguns sintomas, como dificuldade para falar ou sorrir, boca torta e perda de força em um dos lados do corpo. Saiba reconhecer outros sintomas do AVC isquêmico.

2. Trombose Venosa Profunda (TVP)

O sangue grosso também pode aumentar o risco de trombose devido à presença de coágulo nas veias, provocando sintomas como dor e inchaço no local, mais frequentemente nas pernas e alterações na coloração do local na pele. Confira outros sintomas de trombose venosa profunda.

3. Embolia pulmonar

A embolia pulmonar ocorre quando um coágulo, bloqueia um vaso sanguíneo nos pulmões, diminuindo o fluxo de sangue que chega aos pulmões, o que causa dificuldade em respirar, sensação de falta de ar, dor no peito, tosse, batimentos cardíacos aumentados ou tonturas.

4. Infarto agudo do miocárdio

O infarto agudo do miocárdio, também conhecido como ataque cardíaco, acontece quando uma das artérias do coração fica entupida por um coágulo. Isso impede o transporte de oxigênio necessário para que os músculos do coração trabalhem. Dessa forma, os músculos cardíacos não funcionam de forma adequada, levando ao aparecimento de sintomas como dor forte e intensa do peito, que pode irradiar para o braço esquerdo, falta de ar e tontura. Saiba reconhecer os sintomas de infarto.

5. Trombose da veia renal

A trombose da veia renal acontece quando existe uma obstrução de uma ou ambas as veias renais, devido a coágulos que podem ser devido ao sangue grosso, que resulta numa lesão nos rins, provocando dor repentina na região entre as costelas e o quadril ou presença de sangue na urina.

Como é o tratamento

O tratamento para sangue grosso deve ser indicado pelo clínico geral, cardiologista ou hematologista e tem como objetivo tornar o sangue mais fino, sendo indicado para isso o uso de medicamentos anticoagulantes, como a varfarina, apixabo, clexane e xarelto, por exemplo. Esses medicamentos não devem ser iniciados sem orientação médica, pois pode haver aumento do riso de sangramentos importantes.

Além disso, é importante que a pessoa tenha cuidados com a alimentação, pois assim é possível que o tratamento com remédios seja mais eficaz e seja possível prevenir a formação de outros coágulos.

Cuidados com a alimentação

A alimentação para sangue grosso tem como objetivo melhorar a circulação sanguínea e prevenir a formação de coágulo e, para isso, é recomendado consumir alimentos ricos em vitamina C, D, E e K, já que essas vitaminas possuem efeito anticoagulante. No entanto, é importante que esses alimentos sejam consumidos de acordo com a recomendação do nutricionista, pois o consumo em quantidades elevadas pode diminuir a eficácia dos remédios usados, o que pode trazer complicações.

Assim, os alimentos ricos nessas vitaminas, como acerola, laranja, salmão, óleo de fígado de bacalhau, semente de girassol, avelã, espinafre e brócolis, devem fazer parte da alimentação diária e consumidos conforme a recomendação médica. Conheça outros alimentos que ajudam a melhorar a circulação sanguínea.

Além disso, durante o tratamento com anticoagulantes, é importante ter cuidado ao consumir alho, ginseng, castanha da índia, boldo, guaraná ou arnica, uma vez que podem interagir com os remédios e diminuir seu efeito.

Conteúdo original publicado por Tua Saúde