Taxa de positividade de testes da Covid-19 cai pela primeira vez desde março, apontam dados de laboratórios

O novo levantamento do Instituto Todos pela Saúde (ITpS) divulgado nesta quarta-feira (29) apontou que a positividade dos testes para SARS-CoV-2 (o vírus causador da Covid-19) em laboratórios caiu de 45,3% para 40,6% na última semana (18 a 25 de junho).

Segundo o ITpS essa é a primeira queda na positividade desde 26 de março, quando a taxa inverteu a tendência de baixa e passou a subir semana após semana.

O instituto analisou 318.746 testes moleculares realizados entre 1º de fevereiro deste ano, a maioria testes coletados nos estados das regiões Sudeste e Centro-Oeste (cerca de 95%).

Segundo o levantamento, a queda na positividade para Covid-19 ocorreu todas as faixas etárias, exceto entre crianças de 0 a 4 anos. Para essa faixa etária, houve uma alta de 16% para 18%.

Os dados também apontam que as maiores reduções foram observadas em pessoas de 40 a 49 anos (de 51% para 44%), de 10 a 19 anos (de 36% para 30%) e de 30 a 39 anos (de 47% para 42%).

2 de 2
Número de testes moleculares para infecções respiratórias entre fevereiro e junho de 2022. — Foto: ITpS/Divulgação

Número de testes moleculares para infecções respiratórias entre fevereiro e junho de 2022. — Foto: ITpS/Divulgação

Ainda segundo os dados do Instituto Todos pela Saúde, todos os estados analisados, com exceção de Goiás (que saltou de 39% para 41%), apresentaram redução da positividade: Mato Grosso (de 42% para 34%), São Paulo (de 46% para 40%), Distrito Federal (de 52% para 49%), Minas Gerais (de 35% para 33%) e Rio de Janeiro (de 47% para 46%).

De acordo com o ITpS, a queda do número de casos é um claro reflexo da disseminação das subvariantes BA.4 e BA.5, que passaram a representar cerca 79,3% no total de amostras positivas dos testes de laboratórios nas últimas semanas.

“Como não há por enquanto a ocorrência de novas variantes, a tendência é que a taxa de positividade continue em queda”, avalia o Instituto.

Conteúdo original publicado por g1.globo