Tratamento para melasma: 4 opções

Para tratar o melasma, podem ser usados cremes clareadores, como a hidroquinona ou tretinoína, ou ser indicada a realização de tratamentos estéticos, como laser, peeling químico ou microagulhamento, orientados pelo dermatologista. 

O melasma é mais comum em regiões expostas ao sol, como o rosto, por isso, é muito importante o uso de protetor solar para que o clareamento seja satisfatório e para que não surjam novas lesões. Além disso, o melasma pode ter diversas causas, como alterações hormonais da gravidez, uso de anticoncepcionais, uso de alguns remédios ou envelhecimento, por exemplo. Conheça mais sobre o melasma.

O melasma tem cura, e o melhor tratamento varia de acordo com o tipo, o local do corpo afetado e a profundidade da mancha, que pode ser superficial, ou epidérmica, profunda, ou dérmica, e mista, portanto é importante conversar com o dermatologista para decidir qual o tratamento ideal.

Os principais tratamentos que podem ser indicados pelo dermatologista são:

1. Protetor solar

O uso de protetor solar é fundamental no tratamento do melasma, já que nenhum outro tratamento será efetivo sem a proteção da pele contra os raios solares. O protetor solar deve ser usado com o fator mínimo de 15 FPS, todos os dias, mesmo que que o dia esteja nublado ou que a pessoa permaneça em locais fechados.

Também é importante evitar a exposição ao sol durante o tratamento das manchas, e se estiver em ambientes ensolarados, é importante repor a camada de filtro solar a cada 2 horas.

2. Cremes clareadores

O cremes que clareiam manchas são muito eficazes, pois fazem um tratamento a longo prazo e garantem um resultado duradouro, podendo ser usados em qualquer local do corpo:

  • Hidroquinona, contém um princípio ativo clareador, e deve ser usado por 1 a 2 vezes ao dia, mas por tempo limitado, devido a efeitos irritantes na pele, como descamação e coceira;
  • Retinoides, como Tretinoína, Adapaleno e o Tazaroteno usados em forma de creme ou gel, são úteis para reduzir o escurecimento da pele;
  • Corticóide tópico, em pomadas, pode ser usado por um curto período de tempo, para diminuir a inflamação da pele que pode causar manchas;
  • Ácido azeláico, também tem um efeito no controle da quantidade de melanina e escurecimento da pele;
  • Outros ácidos como ácido kójico, glicólico e salicílico, são presentes em tratamentos cosméticos, e são mais eficazes quando em associação com outros ácidos, para auxiliar no clareamento e renovação da pele.

O tempo de tratamento varia de acordo com o produto utilizado, com as características da mancha e tipo de pele. De forma geral, os resultados podem começar a ser vistos após 2 a 4 semanas de tratamento, que pode durar até cerca de 6 meses.

3. Tratamentos estéticos

Os tratamento estéticos podem ser indicados pelo dermatologista para tratar o melasma, já que promovem a remoção da camada superficial da pele e conferem resultados mais rápidos. Alguns dos tratamento estéticos que podem ser indicados pelo médico são:

  • Peeling químico, é feito com ácidos, com concentrações mais fortes que os usados em cremes, para remover uma camada da pele. Pode ser leve para o melasma superficial ou mais intenso para melasma profundo. 
  • Microdermoabrasão, conhecido como peeling de cristal, é uma técnica de esfoliação profissional que remove as camadas superficiais da pele para um aspecto renovado;
  • Microagulhamento, é um técnica que perfura a pele com microagulhas para estimular a produção de colágeno e circulação de sangue na pele, o que pode ser útil para diminuir algumas manchas na pele, além de reduzir as rugas e flacidez do rosto.
  • Luz intensa pulsada, não é uma opção inicial, mas é utilizada em alguns casos que não melhoram com outros tratamentos, e até podem piorar as manchas na pele se usada de forma errada.

Geralmente, são necessárias várias sessões para se obter o resultado desejado, o que varia de acordo com a intensidade e a profundidade do melasma.

4. Tratamento a laser

O laser é uma ótima opção para tratamento das manchas, pois libera uma onda de calor sobre a pele, que destrói o pigmento de melanina, e está indicado em casos de melasma profundo ou que não melhorou com o tratamento com cremes ou cosméticos.

São realizadas sessões semanais, e a quantidade também varia de acordo com a gravidade e a profundidade da mancha. Além disso, este tratamento deve ser feito apenas por um dermatologista capacitado, devido ao risco de queimaduras na pele. Veja como é feito o tratamento com laser para o rosto.

Confira no vídeo a seguir mais dicas para tratar as manchas na pele:

Como tratar o melasma na gravidez

O tratamento do melasma durante a gravidez pode ser mais complicado devido às alterações hormonais típicas desse período, além disso, as manchas na pele costumam melhorar naturalmente no final da gestação. Porém, para aliviar as manchas e prevenir a o aparecimento de mais, é recomendado que seja utilizado protetor solar e hidratantes naturais diários.

De preferência, os produtos utilizados para clarear o melasma na gravidez, também chamado de cloasma, devem ser hipoalergênicos e oil free, para que não provoquem oleosidade na pele e, assim, seja possível evitar o surgimento de espinhas, também comuns na gravidez. 

O uso de cremes clareadores ou tratamentos estéticos com produtos químicos, ácidos ou laser estão contra-indicados na gravidez. Em casos muito necessários, o ácido azelaico e ácido salicílico em doses baixas não oferecem risco neste período, mas, preferivelmente, qualquer tratamento deve ser adiado até o fim da gravidez e amamentação.

Conteúdo original publicado por Tua Saúde